Resultados
Oficina

Grávida com cinto de segurança: sim ou não?

Cinto de Segurança para Grávidas no Honda Jazz

Um dos maiores mitos associados a grávidas refere que a utilização do cinto de segurança durante a gestação pode ser prejudicial para a criança. Esta informação não está correta, na medida em que o cinto de segurança é fundamental e obrigatório, enquanto medida de segurança.

O uso de cinto de segurança por uma grávida é fundamental para garantir tanto a segurança do bebé, como da mãe. Desde 2006 que a grávida é obrigada, por lei, a usar cinto de segurança quando viaja de automóvel, assim como todos os outros ocupantes da viatura.

Descubra todos os motivos pelos quais uma grávida deve usar cinto de segurança.

As grávidas devem utilizar cinto de segurança

Um dos principais motivos refere-se ao facto de, em caso de acidente, este sistema de retenção assumir um papel de particular importância na proteção tanto da mãe, como da criança.

De acordo com os últimos estudos realizados sobre o impacto da não utilização do cinto de segurança, metade das possíveis lesões fetais, em caso de acidente, poderiam evitar-se caso as grávidas tivessem colocado corretamente o cinto de segurança. Caso a grávida seja, simultaneamente, a condutora, o impacto direto do volante na sua barriga, sem uso de cinto de segurança, poderá conduzir, por exemplo, ao desprendimento da placenta ou a uma rutura uterina.

No entanto, existem dicas específicas para colocar corretamente o cinto de segurança numa grávida, de modo a que a tensão exercida pelo mesmo na barriga da mãe não seja prejudicial para a criança. Saiba como.

Uma grávida pode conduzir durante a gravidez?

No primeiro trimestre, os efeitos da gravidez podem provocar uma maior sonolência, enjoos e cansaço extra, devido às alterações hormonais habituais deste período, o que pode influenciar a rapidez dos reflexos.

Por isso, deve evitar percursos longos e evitar as horas de maior tráfego e, se possível, ao fim da 30ª semana de gestação, viajar acompanhada.

Cinto de segurança para grávidas no Honda CR-V Hybrid

Como colocar o cinto de segurança numa grávida

Uma grávida deverá utilizar um cinto de três pontos de fixação. Segundo a Guarda Nacional Republicana (GNR), deverá seguir estes passos:

  1. Puxar a precinta subabdominal o mais para baixo possível, para que, em caso de travagem, o mesmo faça pressão na zona das ancas e não diretamente na barriga.
  2. A precinta diagonal do cinto deve estar repousada sobre o ombro e a cruzar o tórax, passando pelo meio do peito e sem pressionar a barriga.

Uma grávida apenas está isenta da utilização do cinto de segurança caso cumpra o referido no Regulamento de Utilização de Acessórios de Segurança, Portaria n.º 311-A/2005, de 24 de março (Artigo 5.º), que refere que estão “estão isentas da obrigação do uso do cinto de segurança, prevista no n.º 1 do artigo 82.º do Código da Estrada, as pessoas que possuam um atestado médico de isenção por graves razões de saúde, passado pela autoridade de saúde da área da sua residência.”

No entanto, este atestado é prescrito por um médico em caso de gravidez de risco. Se este for o seu caso, deverá enviar o respetivo atestado para o Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT).

Qual é o lugar mais seguro para uma grávida?

Tal como acontece com as crianças e respetiva colocação das cadeirinhas para bebés, o lugar mais seguro para uma grávida viajar é no assento traseiro, já que, em caso de colisão ou travagem brusca, quem circula na parte da frente do carro é quem, habitualmente, corre mais riscos.

No entanto, existem acessórios que facilitam a colocação do cinto de segurança numa grávida, nomeadamente adaptadores de cinto cujo funcionamento é muito semelhante ao do sistema ISOFIX das cadeirinhas para bebés.

À medida que a gravidez vai avançando, deve também ter em consideração outros fatores se estiver a pensar numa viagem longa. Antecipe o planeamento das suas viagens com maior cuidado, já que uma futura mãe poderá necessitar, por exemplo, de mais paragens para idas à casa de banho ou para descansar.

Com a chegada do novo elemento da família, verifique se o seu automóvel é o ideal, no que diz respeito a segurança, conforto e espaço, para acolher a cadeirinha de bebé. Na eventual mudança para um carro familiar, o Honda CR-V ou o Honda Civic, por exemplo, podem ser opções Honda acertadas para o aumento da família, com um toque bem especial do autocolante a indicar a presença dos futuros condutores da marca.

Honda Portugal Automóveis
Honda Portugal Automóveis A Honda chegou a Portugal em 1968, preparada para conquistar os portugueses com a sua inovadora tecnologia e os melhores e mais fiáveis automóveis. Com uma longa história de sucesso no nosso país, a Honda conquistou uma verdadeira comunidade de fãs, que reconhecem na marca a fiabilidade, segurança e tecnologia que nos caracterizam. A competição e a performance estão no nosso ADN e é por isso que, diariamente, continuamos a trabalhar para que todas as viagens sejam verdadeiramente emocionantes. Ver perfil

Siga-nos no Instagram

@honda.pt