Resultados
Marca

Carros elétricos: como planear uma viagem

O pedido da União Europeia para uma redução de emissões de CO2 por parte da indústria automóvel está a transformar este setor.

Contudo, os carros elétricos continuam a suscitar dúvidas, nomeadamente em relação à autonomia e à rede de carregamento nacional.

Já é possível realizar viagens longas a bordo de um carro elétrico. As férias de sonho num carro ecológico dependem, acima de tudo, de um bom planeamento.

Descubra como planear uma viagem num carro elétrico e o que necessita para utilizar os postos de carregamento normal e rápido.

Como aumentar a autonomia de um carro elétrico

Entre os carros ecológicos existentes em Portugal, a principal diferença entre carros híbridos e elétricos passa pela existência de um motor a combustão na motorização híbrida.

Na motorização híbrida, a gestão dos dois, ou mais, motores permite uma maior poupança de combustível e consequente diminuição das emissões poluentes.

Do Minho ao Algarve, o percurso tem, aproximadamente, 700 km. Planear uma viagem num carro elétrico passa, sobretudo, pela autonomia que o automóvel elétrico dispõe, assim como pelo tempo de carregamento da respetiva bateria.

Carregamento da bateria num carro elétrico

Existem várias dicas para aumentar a autonomia de um automóvel elétrico, permitindo a realização de viagens longas tranquilas:

  1. Realize uma condução suave: quanto mais acelerar mais energia irá consumir.
  2. Abrande, sempre que puder. Mantenha uma velocidade constante, abaixo dos 100 km/h. Opte pelo modo “ECO” em vez do “Sport”, para uma maior autonomia, em vez de desempenho.
  3. Utilize a Travagem Regenerativa. Os carros elétricos transformam o abrandar do seu automóvel em energia, através do sistema de travagem regenerativa.
  4. Para poupar alguma energia, ligue o aquecimento dos bancos e do volante ou pré-aqueça o automóvel durante o carregamento deste. E quem fala de aquecimento, fala de ar condicionado. Enquanto circula a velocidade mais baixas, opte por abrir as janelas. Se necessitar mesmo do ar condicionado, então ligue-o durante o carregamento do carro. A lógica é simples: quanta mais tecnologia utilizar, mais energia irá consumir.
  5. Verifique a pressão dos pneus. Se circular com uma pressão baixa nos pneus, irá aumentar o consumo de energia, sem esquecer o degaste maior dos pneus.
  6. Não transporte muito peso no automóvel. O peso pode influenciar, até 2%, a autonomia de um carro elétrico. Transporte somente o necessário.
  7. Um carro elétrico não deve estar sempre ligado à tomada. Ao longo do tempo vai descarregando a bateria, mesmo antes desta ter terminado de carregar. Faça uma gestão cuidada dos carregamentos.
  8. Aerodinâmica a favor da autonomia. Quanto menor for a resistência ao ar, mais eficiente um carro elétrico será.

Como carregar um carro elétrico em casa

O carregamento de carros elétricos em tomadas domésticas é uma alternativa viável.

Carregar um veículo elétrico em casa pode ser tão simples quanto carregar um telemóvel numa tomada doméstica de 10A, recorrendo a um adaptador próprio. Mas a melhor opção passa pela instalação de uma Wallbox, para um carregamento mais rápido.

Com a Wallbox, poderá reduzir o tempo de carregamento de um automóvel elétrico para entre 4 a 8 horas.

Um carregamento de um automóvel elétrico pode ultrapassar 30% de poupança no seu orçamento com energia, quando comparado com os gastos médios de um carro a combustão. Descubra tudo sobre como carregar um carro elétrico em casa. 

Rede de Postos de Carregamento Rápido

Em Portugal e Espanha, contam-se já mais de 4.000 postos de carregamento, onde mais de 1.000 estão situados em solo português.

Postos de carregamento rápido (PCR) e postos de carregamento normal (PCN) distinguem-se pelo tipo de tomadas que possuem para efetivar o carregamento e o tempo de carregamento despendido.

Os PCN, que pode encontrar nas ruas, pertencem à MOBI.E, uma rede composta por postos de carregamento para veículos elétricos, maioritariamente situados em espaços de acesso público. Estes postos equivalem a uma tomada doméstica, com a única diferença de estarem localizados no exterior.

A autonomia dos automóveis elétricos mais comuns varia entre 150 km e 250 km ou, no caso do Honda e, pode chegar aos 313 km, em ciclo WLTP urbano.

Apesar de, em média, um condutor português percorrer 25 km por dia , para viagens mais longas os PCR são uma solução ideal.

Em Portugal, já encontramos cerca de 100 PCR distribuídos por todo o país, facilmente localizáveis através das várias aplicações para smartphone, como a “Chargemap” ou a “Miio”, ou pelo mapas que encontrará online, como o exemplo que a UVE apresenta no seu site.

Um PCR diminui o tempo de carregamento de um veículo elétrico para uma média de 20 a 30 minutos. Por exemplo, no caso do Honda e , poderá selecionar a função de carga rápida e atingir os 80% da capacidade da bateria em apenas 30 minutos.

Carro elétrico a carregar num posto de carregamento público

 

O que é necessário para utilizar um PCR ou PCN?

Para utilizar qualquer posto público de carregamento rápido ou posto de carregamento privado deverá solicitar um cartão de carregamento a um CEME – Comercializador Eletricidade para a Mobilidade Elétrica.

Antes de o fazer, deverá analisar as propostas comerciais apresentadas pelos diversos CEME disponíveis no mercado e estabelecer um contrato com o que for mais indicado para si, já que não é possível pagar diretamente a um posto de carregamento e, sem o respetivo cartão de carregamento, não poderá carregar a sua bateria.

Um cartão permite-lhe desbloquear os postos de carregamento, independentemente do seu Operador de Posto de Carregamento (OPC).

O custo que o CEME irá cobrar engloba três componentes:

  • Serviço do CEME, pago pelo consumo de energia;
  • Serviço de operação do posto de carregamento, pago pela utilização do posto;
  • Tarifa da entidade gestora.

Assim, o custo de um carregamento será igual ao valor que o seu CEME lhe cobra pelo serviço, acrescentando o valor do serviço de operação do respetivo posto. No final do carregamento, receberá uma fatura com os custos discriminados.

Rede pública de postos de carregamento normal passa a ser paga

No dia 1 de julho, a rede pública de postos de carregamento normal passou a ser paga. Isto significa que os cartões MOBI.E deixam de ser válidos, sendo que os utilizadores de veículos elétricos terão de adquirir os cartões fornecidos pelos CEME.

Esta rede conta com 643 postos de carregamento elétrico espalhados por todo o país, perfazendo mais de metade de todos os postos de carregamento elétrico existentes.

Como planear uma viagem num carro elétrico

De modo a manter a autonomia do seu automóvel, convém fazer algumas pausas estratégicas para recarregamento da bateria do seu veículo elétrico.

  1. Comece por planear o seu itinerário, com foco na localização de PCR. Autoestradas irão encurtar distâncias, mas será mais difícil manter a velocidade abaixo dos 100 km/h.
  2. Instale uma aplicação no seu smartphone para saber onde se encontra o posto de carregamento mais próximo de si. A maioria dos GPS, como o “Waze”, já mostra esta informação, mas uma aplicação será sempre útil, como a “Chargemap”.
  3. Descubra até onde a autonomia total do seu automóvel o levará e após ultrapassar pouco mais de metade da carga da bateria, verifique o posto de carregamento rápido mais próximo de si e reponha a energia.
    Um carregamento de 15 minutos, num posto de carregamento rápido, deverá ser suficiente para reabastecer o seu carro elétrico para aproximadamente cem quilómetros.
  4. Recorra ao cruise control, para manter a velocidade abaixo dos 100 km/h e conseguir equilibrar consumo com a velocidade aumentando, assim, a autonomia do seu carro.
  5. Se possível, escolha pernoitar num hotel com posto de carregamento. Desta forma, poderá carregar o seu carro durante a noite, poupando tempo e dinheiro.
  6. Siga as dicas no início deste artigo para aumentar a autonomia de um automóvel elétrico.

Honda e na estrada

Assim, ao considerar o tempo estimado para uma determinada viagem, tenha também em atenção os momentos necessários para carregamento. No final, será certamente recompensador saber que a viagem não emitiu quaisquer gases tóxicos para a atmosfera.

Para além de uma condução mais silenciosa, a longo prazo, os carros elétricos revelam-se mais económicos. Se tivermos em consideração o custo por quilómetro, estima-se que um carro elétrico custe menos de um terço, quando comparado com um veículo a combustão.

A Honda tem como missão a redução de emissões dos seus veículos, com a promessa de, até 2022, eletrificar a sua gama de carros na Europa (dois terços das vendas globais, em 2030), assim como pretende reduzir em 50% as emissões de CO2, até 2050.

Honda e , Honda Jazz Hybrid ou Honda CR-V Hybrid  são alguns dos exemplos já em circulação ou brevemente disponíveis, em direção ao sucesso desta missão ecológica.

 

Honda Portugal Automóveis
Honda Portugal Automóveis A Honda chegou a Portugal em 1968, preparada para conquistar os portugueses com a sua inovadora tecnologia e os melhores e mais fiáveis automóveis. Com uma longa história de sucesso no nosso país, a Honda conquistou uma verdadeira comunidade de fãs, que reconhecem na marca a fiabilidade, segurança e tecnologia que nos caracterizam. A competição e a performance estão no nosso ADN e é por isso que, diariamente, continuamos a trabalhar para que todas as viagens sejam verdadeiramente emocionantes. Ver perfil

Siga-nos no Instagram

@honda.pt